Google+ Followers

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

A mais linda cadência

Acabo de criar meu espaço virtual,espaço de colocar pra fora esse dentro excessivo que existe em mim...espero que gostem!

terça-feira, 6 de maio de 2014

Pra que, pra quem , porquê?

Pensando em escrever, penso e penso,
e continuo não vendo as letras serem escritas por meus dedos
E então, ao me cobrar pelo ausente, me questiono novamente
pra que, pra quem e porquê?

Poesia..ah..poesia
a vida é tão dura contra essa nossa fantasia
Penso a todo momento em escrever
mas, se me faltam pensamentos
O que poderei fazer?

A vida tem segredos
que os dedos não podem escrever

A mente tem mistérios
que nem nós sabemos ler

Escrever é despir-se?
Escrever é mostrar-se?
Então: pra que, pra quem e porquê?

Qual motivo nobre me viria a mente
que de fato valha a semente
que tentarei plantar, de certa forma, em sua mente?

Se não for nobre, porque seria?

Contando as horas para que a criatividade volte a ser em mim, feito água fresca em nascente

Venha poesia, venha..
Sou sua,
como sempre!

terça-feira, 22 de abril de 2014

A Mata de Corumbataí

A mata de Corumbataí
Sim, há mais mata por aqui!

Subindo a Serra de São Carlos
Onde habitavam os Tupis-guaranis

Se verde és agora
Imaginem quão colorida foi outrora

Ainda passarei  por aqui
                        pra ver o lindo nascer da aurora!

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Criação virtual

Acabo de criar meu espaço virtual,espaço de colocar pra fora esse dentro excessivo que existe em mim...espero que gostem!

Olha o samba meu Senhô

Os amigos vem aos bambas
vamos começar o samba,
todo mundo já ensaiou

Esperamos a semana inteira
com trabalho, correria e chega!
agora é hora, sem pudor

Vamos afinar os instrumentos
sentir o calor do momento
ver as morenas sambar

Quero dizer seu Sargento
o samba é a música do momento
aqui nesse nosso altar

veja só essa moçada
tão esperando com a mão cansada
de tanto trabalhar

Mas, com música ninguém esmorece
sai cantando feito prece
Como se fosse rezar

O samba é nosso meio
de falar com o N senhô

Dizer pra ele umas coisas
que vem na memória da gente

o samba que vem do morro,
contando coisas do povo,
só pode ser cheio de dor/cor

veja bem meu senhô
o nosso povo merece
Vamos puxar a rima
que é hora de mandar a rotina
dar uma volta no Arpoador

Cobrando de mim

Tens razão em cobrar posição
Em querer saber os porquês
em andar me espiando em vão

Tens razão em querer deixar de me amar
Em tentar me odiar
Em me amar e temer

!!!Tenes toda razão del mundo!!!

Olhando para todos os lados, procuro motivos

Tem um vazio calado
que teima em berrar

Tem uma dor no peito
que não dá pra abafar

Tem um sentimento de falta
algo que não se estanca
algo que arde como pimenta jalapenã - até me aprece um modo bom de arder

Tem uma falta de mim que dói em meu peito e não posso cobrar de ninguém por este defeito
Sou peça única com mecanismos nem tão bem traduzidos para alguns montadores profissionais

Sou a chave de fenda que abre meu ser...e não tenho vontade alguma de me desmontar!

Estações

A flor vem serena, se mostra inteira
se abre pro mundo
exalando seu cheiro
e me invade a alma, em um só segundo

A flor da mãe Terra tem cores aos mil
e surge florindo à beira do rio

Nessa minha história a imagem é nossa
venho pensando, falando e cantando
sobre o meu amor pelo mundo

A flor tem seu tempo e vai se despetalar
a vida é tênue, é só descuidar
é preciso viver o que o astro mandar
pois se tudo tem ordem:
primavera, verão, outono inverno
O inverso disso é não vai poder dar!

Entre o frio e o cimento nasceu uma flor

porque posso perfeitamente viver com seu cheiro todos os dias,
por perceber que faria muitos filhos com você,
por sentir sua falta a cada minuto
por sentir tua presença
por querer viver ao seu lado
por sentir necessidade de me aprofundar em você
por me instigar com suas mãos em minha cintura
por ferver de tesão ao pensar em seus dedos
por tudo isso que desejo
sinto que temos que permitir
esse amor deve viver
não pode morrer sem sentir
não pode acabar ao nascer
esse amor tem elo de muitas vidas
tem contato de muitos segredos
tem energia de muitas conquistas
tem sabor de muitas frutas
tem cheiro de muito prazer
tem eu e tem você
amando pra renascer
amando pra respirar
respirando por amar

a poesia favorece nosso encontro
conversamos pelas pontas dos dedos o que nossas almas falam quietas
enquanto vagueiam pela madrugada a se encontrar caladas, na noite gelada, na ponte elevada, que separa nossos corpos agora...
entre o frio e o cimento,
nasceu uma flor...
e agora, já é tão grande
e por instantes
já não mais

Vendo verdades

Começo nova fase
Assim como a Lua
                          me renovo
e trago comigo todas as mudanças que me acompanham
mas, não se pode ver, como as flores, os rios e os ventos
que se mostram plenos em frente aos nossos olhos
são mudanças vistas de dentro
mudanças que me custam enxergar
por não querer ver

Ser sonhadora sempre me fez pensar que a vida tinha a cor e a forma que eu acreditasse

Menos menina
Mais mulher
Menos sonhadora
Mais realista

Já não espero poesias
Cartas de amor em garrafas de vidro flutuando pelo mar
Amores eternos
Palavras sinceras

Procuro nos fatos
              Encontro inverdades
Encontro medos
                            Encontro vidas desencontradas
Encontro a mim mesma vendo você partir
                                  num barco a vela que já não me parece romântico

Pra que pensar em omitir sempre
Em ser meio sempre
Em ser incompleto sempre?

Não me agrada deixar o sonho morrer
Sei, quem morre hoje, um pouco mais, sou eu
E essa criança que em tudo via flores
E que sabia, sim, são inverdades
Mas, teimava querer mudar tudo
Como uma mãe que tenta não ver as dores de seus filhos
Eu tentava não ver os meus próprios medos!

Hoje, tento dormir com eles ao meu lado
Para olhá-los a todos os instantes
e refletir
Para onde foram meus sonhos?
Vou atrás deles ou fico a ver o barco partir sem mim?
E se eu for flutuando ao seu lado?
Será que beberei toda água do oceano?
Creio que já me afoguei de mais ao seu lado.


Uma parte


Pensamentos
Palavras
Escritos
Poesias, frases, pinturas
Rabiscos escondidos 

Uma parte de mim acreditava
E outra parte, também
Era como uma certeza
De que os surdos escutam tudo
E de que os cegos,
Tudo veem!

Achava que o tempo parava
E que a bola do mundo,
Fazia tudo cair, voltar ao normal

Descumpria as ordens dos mares
As cenas exatas
Descumpria que após um furacão sempre fica um lastro de destruição fatal
E que todo amor, tem final! 

Olhava com os olhos do amor
E assim, só isso via

Lágrimas caem
limpam enfim imagens ingênuas

Usava óculos escuros pelas bucólicas ruas em noite fria,

 Difícil até mesmo para quem quer enxergar!

Sentidos nunca me faltaram,
Mas, falharam,

Insanos!

Uma parte parecia ouvir
E a outra ver

Mas, na verdade
Era tudo ao contrário! - apenas para confundir

Ouvia com os olhos

E via com os ouvidos - internos

Te visualizava em meus sonhos, dançavas comigo

Já que longe dos olhos estavas!

Apenas frases roucas de amor ecoavam por entre os mares, fronteiras, desertos, espaços
Em forma de suspiros

Iemanjá bem sabe,
Eu talvez estivesse certa!

Uma certeza calcada na incerteza
E no profundo buraco negro que coloquei meus sentimentos

e no qual coloco meus pensamentos agora!

Seríamos nos dois o par perfeito?

Ou um triângulo equilátero?


Se três lados iguais são muita coisa
Poderíamos tentar o escaleno

Aquele que cada lado guarda sua história

Isósceles nunca foi meu preferido
Dois lados iguais e um diferente

Me parece que esse outro estaria perdido!
Podia ele era ser também a base,

dessa esta história escrita a tantas mãos

e baseada em tantas frases

cheias de senãos!




terça-feira, 8 de abril de 2014

Lugar Comum

Lugar comum,
                         algo que nunca quis

elo ou relógio
ser bem quista
viver de ócio
ler jornais
assistir novelas
fazer poses pra cartaz!

                     algo que eu nunca esperei
amor
sinceridade
amizade
perdão
        - se recebe e não se espera -

algo que eu nunca dei
o coração!

Lugar comum

Nunca foi o meu
nas festas, mesas, bares, lugares
encontros, amores, rumores, definitivamente, 
lugar comum nunca foi
nunca!

Nascida como fera ferida, cheia de amor pela vida, vivo meus instantes fecundos cheia de arte em mente
Sou estranha, louca, tida como perdida,
mas, eu sei
Lugar comum nunca foi o meu
e tenho muita sorte por isso!


sábado, 8 de março de 2014

Procurando sentido

Começava o dia e ele dormia
quando acordava, ele me amava
o dia terminava e ele me olhava
a noite parecia um interminável enlace
seus braços, minha cintura
suas mãos, meios seios
sua mente, meu espaço indefinido

seu corpo era algo presente
sua mente, algo indizível
seus pensamentos me pareciam claros
mas sua boca, nunca os diziam

era algo assim com certo ar de mistério
que de perto era claro, como água em nascente
mas, de dentro, era algo além, dormente e distante

Sentir por onde andava seu coração
que queria estar ali
mas de fato
não podia
ou parecia apenas estar vagando
procurando em estrelas um motivo maior

as vezes não estava, e de fato, não percebia
então, acreditava
que seu coração pertencia
a algo ou alguém
quando na verdade
era apenas ele dentro
tentando achar seu norte
sua motivação maior
algo pra que a vida fizesse sentido

procuramos o sentido em tudo
como se tudo assim o tivesse
como se o caminho não fosse sendo modificado
num laço colorido que abraça nossas mãos e pernas
pra vermos com profundidade o que somos
Eis nosso maior presente
A vida e nossas escolhas,
por mais difíceis que pareçam
São a evolução do nosso espírito - o caminho que escolhemos
talvez até para que possamos avançar nele
aprofundar-nos em nosso interior
e ir além do imaginável.

In sensatez

Remontamos pedaços
num lamaçal de emoções

É constante a necessidade de se perder pra se reencontrar
Somos apenas uma parte de nós
as outras, surgem da destruição de nossas crenças
onde renascem outras novas
que de tão diversas, parecem outro ser
de tão estranhas, parecem não ser nossas

A todo instante procuro essas partes
tento olhar pra elas
me compreender
As vezes me sinto a maior sabotadora de mim mesma
outras tantas minha maior força

Sinto que posso tudo que desejo e até por isso, me vejo criando situações inusitadas pra me desafiar
Testar meus limites, viver intensamente minhas emoções
e nelas, me despedaço
e procuro nos passos
o sinal dessas partes, tão certas por instantes, tão falhas em outros tantos

não parece sensato
não o é!
com certeza, ferir a si mesmo deve ser algo perto da loucura
algo além do imaginável
mas, de perto, o que é normal?

Se Freud e Yung pudessem nos contar
diriam que amor e loucura moram ao lado...

"Cada vida é um desencadeamento psíquico que não se pode dominar a não ser parcialmente. Por conseguinte, é muito difícil estabelecer um julgamento definitivo sobre si mesmo ou sobre a própria vida. Caso contrário, conheceríamos tudo sobre o assunto, o que é totalmente impossível. Em última análise: nunca se sabe como as coisas acontecem. A história de uma vida começa num dado lugar, num ponto qualquer de que se guardou lembrança e já, então, tudo era extremamente complicado. O que se tornará essa vida, ninguém sabe. Por isso a história é sem começo e o fim é apenas aproximado indicado."

"Tudo o que conhecemos a respeito do inconsciente foi-nos transmitido pelo próprio consciente. A psique inconsciente, cuja natureza é completamente desconhecida, sempre se exprime através de elementos conscientes e em termos de consciência, sendo esse o único elemento fornecedor de dados para a nossa ação. Não se pode ir além desse ponto, e não devemos esquecer que tais elementos são o único fator de aferição crítica de nossos julgamentos."

Carl Jung









quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Comeme


Olhos, sempre eles
insistentes badaladas do sino
chamame a comerte
morderte
tragarte

pois comote
mordote
tragote

e conjugo outro verbo
crio
sou cria
dessa vida entorpecida de desejo e paixão

sou criatura moldada no amor
feito pele colo em tua carne
e dela comote
por dentro, por fora, por onde for
comoseavidafosseapenascomereamar
mordote
tragote
amote
até que os dias nasçam
todos eles
a cada manhã!



terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Para ti



O mundo me dá provas de algo sutil e profundo

ferros, tintas, pigmentos que se dissolvem com agua...

Transformam

Assim como em mim, tudo muda

Instantes fecundos

Seus olhos, profundos

Pintam e vêem a vida além da que se mostra estática!

Os materiais conversam

dizem onde väo seus olhos

sem cérebro

Intacto

A vida sai por seus dedos

Mãos fortes expressam sentimentos


Ana Fortunato 11/10/13